Vice – Presidente do COFFITO, Luziana Maranhão, fala sobre o cenário do curso de Terapia Ocupacional no Brasil e na Região Norte

COMO VOCÊ AVALIA O CENÁRIO ATUAL DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL NO BRASIL?

Resposta: Inicialmente, avaliamos a escassez do número de cursos de Terapia Ocupacional no país, resultando num déficit de terapeutas ocupacionais em todo o país, com diferenças regionais e estaduais. No Brasil, existem oito estados que não possuem nenhum curso de Terapia Ocupacional seja público ou privado. Desde 2006, nas gestões do COFFITO e em CREFITOs, vimos desenvolvendo ações para abertura desses cursos, estando, nesse momento, conseguindo maior abertura no Ministério da Educação para essa discussão, solicitando política indutora do MEC para estimular a abertura de Cursos de Terapia Ocupacional junto às instituições de ensino superior públicas, por serem as responsáveis pela formação de recursos humanos das políticas públicas. Apoiamos, também, a abertura de cursos em instituições privadas,pois lutamos pela qualidade do curso, seja público ou privado. Em relação aos projetos pedagógicos, respeitamos a autonomia universitária, mas procuramos pactuar integração com as IES para melhor formação política do profissional em relação às legislações da profissão e das políticas públicas. Promovemos junto com a ABRATO e RENETO , evento sobre a política de Assistência Social e a importância da inserção desse conhecimento e de práticas na rede sócio-assistencial do Sistema Único de Assistência Social, para que os cursos de Terapia Ocupacional acompanhem a capacitação do nosso profissional para inserção em todas as políticas onde estamos inseridos, rompendo com essa tendência exclusiva de ação na política de saúde, como ocorreu no passado, mas que ainda precisa ser superada com maior efetividade

BELÉM (PA) É A CIDADE QUE MAIS TEM CURSOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NO BRASIL. QUAL A IMPORTÂNCIA DISSO?

Resposta:A cidade que possui mais cursos de Terapia Ocupacional é Belém, com quatro cursos. A importância é que além de garantir a formação de terapeuta ocupacional para as políticas de Saúde, de Assistência Social, Educação, Sistema Prisional. Dentre outras áreas para a cidade de Belém, possibilita a interiorização desse profissional em todo o estado do Pará, além de passar a ser um estado que forma profissionais para estados vizinhos que não possuem o curso, como o Amapá, Roraima, Acre, Tocantins, dentre outros. O acesso aos benefícios da Terapia Ocupacional passa a ser viabilizado pela garantia de recursos humanos em número suficiente para atendimento das políticas públicas e para o mercado privado.

COMO VOCÊ AVALIA O APOIO DO COFFITO/CREFITO NO INCENTIVO DA CRIAÇÃO DESSES CURSOS?

Resposta: Avalio que é fundamental, pois pela capilaridade do Sistema COFFITO/CREFITOs com membros e sedes em todo o país, passa a ser extremamente necessária a vontade e decisão política de investir nessa ação para garantir o acesso da Terapia Ocupacional já que os Conselhos Federal e Regionais foram criados pelo governo federal para a defesa da sociedade e garantir acesso universal  à intervenção da Terapia ocupacional aos usuários de todas as políticas públicas e da rede privada.

O CREFITO 12 FOI FUNDAMENTAL NA ABERTURA DE CURSOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NO PARÁ E  EM OUTROS ESTADOS DA REGIÃO. COMO VOCÊ VÊ ESSA ATITUDE DO CONSELHO?

Resposta: O COFFITO realizou um trabalho integrado com o CREFITO-12 para abertura do Curso de Terapia Ocupacional da UFPA juntamente com o de Fisioterapia. Na equipe de elaboração do projeto pedagógico da Terapia Ocupacional, fizemos parte do grupo, juntamente com a Drª.Lucrécia Monteiro (diretora-secretária do CREFITO-12), Drª. Tonya Penna de Carvalho Pinheiro de Souza (ex-vice-presidente do CREFITO-12),Drª.Célia Maria Azevedo de Oliveira (conselheira do CREFITO-7). O apoio do CREFITO-12 aos cursos privados também é fundamental, pois todos são formadores de profissionais da Terapia Ocupacional .

QUAL CONSELHO VOCÊ DARIA PARA O ESTUDANTE QUE PRETENDE INGRESSAR NESSA CARREIRA PROFISSIONAL?

Resposta:Acredito que a questão fundamental é se identificar no perfil profissional, ter certeza da sua escolha profissional. A partir daí, o percurso será favorável, mesmo que se enfrente sobrecarga de estudos, dificuldades em estágios, etc., a aquisição de conhecimentos gerais e específicos,a prática em serviço, a vivência de atividades interdisciplinares, dentre outras atividades acadêmicas, trará um aprimoramento na formação acadêmica a cada dia, expandindo os conhecimentos técnico-científico e político da profissão. Procurar ser um profissional de competência técnica é fundamental, mas a formação política em relação à organização profissional e às políticas públicas, são indispensáveis para um profissional verdadeiramente competente e com responsabilidade social.

O QUE VOCÊ ACHA MAIS BONITO NESSA PROFISSÃO?

Resposta: A capacidade de tornar um indivíduo comprometido física, mental, sensorial ou socialmente, o mais independente e autônomo possível. De incentivar o reconhecimento de suas potencialidades e da capacidade de se transformar, quando as situações adversas impulsionam o indivíduo para fazer da limitação ou da doença,  algo central em sua vida.

FIQUE À VONTADE PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS.

Resposta: Esclarecemos que todo o Sistema COFFITO/CREFITOs precisam se empenhar na abertura de cursos de Terapia Ocupacional, pois se temos como principal função delegada pelo Estado Brasileiro, a fiscalização, o déficit de terapeutas ocupacionais precisa der denunciado pela nossa ação fiscalizadora e como resposta política , precisamos pressionar os governos para abertura desses cursos, pois possuem responsabilidade com essa situação por falta de planejamento. No entanto, precisamos demonstrar que o Sistema não se propõe a denunciar, mas a desenvolver ações em parceria com as IES para contribuir com a criação do curso de Terapia Ocupacional pelo entendimento da responsabilidade e justiça social.